Bem-estar e espiritualidade na gravidez

  • Maria de Fátim da Silva Vieira Martins Universidade do Minho, Escola de Enfermagem (UM)
  • Montserrat Pulido Fuentes Universidad de Castilla-La Mancha
Paraules clau: espiritualidade, religiosidade, crenças, gravidez

Resum

A espiritualidade tem vindo, cada vez mais, a incorporar os cuidados de enfermagem de saúde materna, pela necessidade de compreender a mulher grávida na sua globalidade. Neste sentido, pretendeu-se explorar as práticas das grávidas relacionadas com a espiritualidade durante a vigilância pré-natal. Realizou-se um estudo exploratório descritivo, de cariz qualitativo. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas a 100 mulheres grávidas que residiam em seis concelhos do Distrito de Braga no Norte de Portugal. O tratamento de dados foi baseado na análise de conteúdo de Bardin (2016). Todas as grávidas inquiridas referiram professar uma religião, cujas 96 eram católicas. Quarenta e sete das entrevistadas recorreram a atos religiosos ou a uso de objetos com o objetivo de proteger o bom desenvolvimento da sua gravidez e do seu filho. O medo do mau-olhado ou do mal de inveja explica a necessidade de recorrer a algo de divino para proteger a gravidez de um eventual abortamento ou de uma malformação no bebé. Religiosidade e espiritualidade foram fontes utilizadas para desenvolver o bem-estar durante a gravidez. A gravidez acarreta temores e ansiedades e a espiritualidade foi considerada um mecanismo de coping, que ajudou na transição para ser mãe.

Author Biography

Montserrat Pulido Fuentes, Universidad de Castilla-La Mancha

 

 

Publicades
2020-11-05
Secció
Monogràfic